Punts - Declínio Técnico

trending down

Montar times de NFL é um quebra-cabeça que envolve análise de performance passada, projeção para o futuro e administração de recursos. Cada organização tem seus princípios competitivos e compromissos comerciais diferentes, então estruturam seus elencos também de forma distinta. Um fator debilitante na competitividade é quando um jogador importante apresenta um declínio brusco de produção. Geralmente seu empregador tem muito $$$ comprometido no CAP futuro deste atleta e se vê de mãos atadas para mexer no elenco. Quando chega a hora de investir em veteranos, já no elenco ou livres no mercado, como avaliar o custo benefício desses novos contratos? Existe algum fator comum que possa indicar a queda de rendimento dos jogadores de alguma posição? Tom Brady (QB - Patriots) recentemente revelou o desejo de atuar por mais alguns anos, além dos 40 de idade. Será que seguirá em alto nível? Vamos ver em relação a Quarterbacks e Running backs, se os MANAGERS poderiam programar melhor a reposição dos craques.  

Quarterbacks

Vivemos um momento em que os Quarterbacks de elite têm estendido suas carreiras para bem além dos 30-35 anos. Parte da razão está na regra do jogo mais protetiva nos tackles a estes jogadores. Dentro do POCKET são praticamente intocáveis, quando sabem ritmar rápido seus passes. Então temos como traçar uma linha na idade que os Quarterbacks começam a apresentar declínio de performance? As tabelas abaixo mostram estatísticas dos últimos 5 campeonatos, bem como do 1º ano como titular e médias da carreira de Peyton Manning, Tom Brady e Drew Brees, três Quarterbacks de elite já veteranos.  

    Para tentarmos projetar o destino destes jogadores, vale checar o que ocorreu com outras estrelas da liga. Alguns Quarterbacks que se aposentaram recentemente: Brett Favre e Kurt Warner; outros que brilahram há mais tempo: Joe Montana, Dan Marino, John Elway, Steve Young e Troy Aikman.  

    Dois pontos fortes ligam a causa do encerramento destas carreiras: queda no QB Rating e concussões.

Aikman & Young

Três deles optaram por pendurar as chuteiras, por orientação médica, devido ao acúmulo de concussões. Steve Young e Kurt Warner ainda viviam bons momentos, quando tomaram a decisão. Já Troy Aikman, ainda tentou retornar aos campos, ms seu último ano foi abaixo do normal. John Elway é a exceção à regra. Aposentou-se logo após a conquista do bicampeonato pelo Denver Broncos no ápice da fama, apesar da idade já avançada. Raro algum jogador encerrar a atividade nos seus próprios termos. Dan Marino teve uma queda de rendimeto acentuada, antes de Jimmy Johnson (HC - Cowboys e Dolphins) forçar sua aposentadoria. Enquanto o grande ídolo dos 49ers Joe Montana, foi terminar a carreira em Kansas City, onde até jogou bem. Olhando de perto a carreira dos atuais craques, podemos antecipar um possível declínio em Manning  nesta temporada, pelo acumulo de contusões. Os Saints também estão preocupados com o desempenho de Brees, apesar dos números por si só, não indicarem a tendência. Será que existe algum interesse econômico motivando o assunto? Brady ainda está com números estáveis, e tem um histórico médico menos atribulado do que os colegas. Mesmo assim, será que ultrapassará a marca de 40 anos, como já anunciou ter a pretensão? Quantos outros confrontos entre Brady e Manning teremos a oportunidade de assistir?

 

Running Backs

Existe um estigma quanto a Running backs que ultrapassam os 30 anos de idade. Mas será que é fato ou ficção? Três atuais jogadores com alta produtividade recente, atingirão essa idade em breve: Adrian Peterson (Vikings - nascido em 1985), Matt Forte (Bears - nascido em 1985) e Marshawn Lynch (Seahawks - nascido em 1986). Será que conseguimos prerver o declínio deles? Vamos ao que ocorreu com algumas estrelas anteriores da posição:  

  Se traçarmos a média na idade de declínio destes jogadores, o número estaria mais próximo dos 28 anos. Em comum entre eles, está uma brusca queda de rendimento repentina. Em certos casos de forma bem inesperada.

tomlinson chargers

Emmitt Smith e LaDainian Tomlinson, por tudo que representaram respectivamente a Dallas Cowboys e San Diego Chargers, ainda jogaram algumas temporadas pelos times em que se brilharam, antes de se transferirem para outros, na esperança de reviver os bons momentos da carreira. Jerome Bettis, também seguiu um tempo maior em Pittsburgh, porque se adaptou a um novo papel, atuando em SNAPs reduzidos, especialmente dentro da RED ZONE. Já Barry Sanders, o melhor Running back que vi jogar, pegou todos do Detroit Lions de surpresa anunciando a aposentadoria precoce, depois de um ano ainda espetacular, mas abaixo do que habituou-nos a assistir. Um caso raro foi John Riggins, estrela do Washington Redskins na década de 80, que teve sua melhor temporada aos 34 anos, quando correu para 1347 jardas (disparado a maior da carreira) e média de 3.6 jardas por tentativa (em par com a média dele de 3.9).     Como está a progressão da carreira dos 3 Running backs antes mencionados:  

  Todos os 3 já ultrapassaram a barreira inicial dos 28 anos, reparada acima nas estrelas do passado. Destes, Matt Forte é o que apresenta a maior tendência de declínio estatístico. Marshawn Lynch, o mais novo deles, é um candidato a declínio surpresa. Isto porque apresentou em 2014 problema médico nas costas, local de difícil restabelecimento por completo. Devemos ficar de olho! E quanto a Adrian Peterson? Aos 30 anos aproxima-se da idade crítica, porém como trata-se de um fenômeno atlético, e ter "descansado" por praticamente toda a temporada 2014, pode ainda ter gás no tanque para alguns bons anos na liga. Todas estas informações servem como base para os GENERAL MANAGERS administrarem os contratos dos RBs. Economicamente falando é interessante delimitar a idade de 29 anos como fim do segundo contrato, e então ter força na negociação seguinte, vinculando $$$ a metas estipuladas.

 

Comentar

Veja também: