Punts – Características dos Jogadores (Ataque)

punts_tipos_off

Os esquemas ofensivos e defensivos dos times se assemelham em diversos pontos, porém existem diferenças que pedem diferentes características dos atletas para executá-los.

Nem todo mundo que joga numa mesma posição é apto para todos os sistemas.

Então vamos ver quais são essas distinções, e quem melhor as exemplifica, começando pelo ataque:

 

Quarterbacks

Como em quase todos os aspectos nesse esporte, Quarterbacks são um caso a parte.

Na maioria das vezes os times ajustam seus planos ofensivos para se adaptarem ao tipo de QB que têm nas mãos, ao invés de enquadrá-los.

newton_panthers

É o que acontece por exemplo quando um talento como Cam Newton (Panthers) é selecionado na 1ª escolha geral do Draft. Cabe aos treinadores ofensivos criarem as jogadas certas para potencializá-lo.

Newton é um Quarterback com uma capacidade incrível de correr com a bola, Prendê-lo o tempo todo no POCKET seria um desperdício de seu talento.

Mas não se pode menosprezar o estilo clássico, pois são esses QBs que normalmente conduzem seus times ao título. Joe Flacco (Ravens) é o mais recente deles.

Então hoje temos 2 tipos claros de Quarterbacks na liga, os clássicos, que atuam dentro do POCKET, e os móveis, aptos a executar o ataque OPTION.

Clássicos: Tom Brady (Patriots) e Joe Flacco (Ravens)
Móveis: Colin Kaepernick (49ers) e Robert Griffin III (Redskins)

joe-flacco-single-image-cut

 

Running Backs

emmitt-smith

Quando pensamos no molde ideal de Running back, vem na cabeça craques do passado como Emmitt Smith (ex Cowboys) e Barry Sanders (ex Lions), que eram completos em todos os fundamentos.

Mas existem alguns jogadores dessa posição que cumprem funções específicas, como entrar em campo em situações de GOALLINE, ou naquelas que falta 1 jarda apenas para garantir nova série de Downs. Geralmente fortes, mas não tão ágeis.

Outro tipo é o chamado 3rd Down Back, um RB habilidoso em receber passes, e mais importante ainda, competente no auxílio à proteção de seu Quarterback. Agilidade aqui fala alto!

Power: Mike Alstott (ex Buccaneers) e Isaac Redman (Steelers)
3rd down back: CJ Spiller (Bills) e Danny Woodhead (Chargers)

 

Fullbacks

Fica repetitivo falar, mas Fullback é uma posição quase extinta na atual NFL. Assim mesmo existem diferenças entre os atletas dessa posição.

O tipo mais comum é o tradicional bloqueador abre caminho para o Running back. Este o segue por algum GAP ou por fora da linha, e aproveita o espaço aberto pelo bloqueio do Fullback num Linebacker ou Safety.

reece_marcel

Mas também temos Fullbacks PLAYMAKERS, capazes de correr com a bola em situações específicas ou inesperadas.

Quando Bill Walsh (ex HC 49ers) desenvolveu o sistema ofensivo WEST COAST, ele projetou mais responsabilidades aos FBs, e desenhou rotas de passes próprias para eles.

 

Tradicionais: Vonta Leach (Ravens) e Jerome Felton (Vikings)
Playmakers: Marcel Reece (Raiders) e Mike Tolbert (Panthers)

 

 

Wide Receivers

Em todas as posições que falaremos existem os jogadores completos, e também os mais adaptados a certas funções (como vimos acima nos RBs).

Claro que um Wide Receiver como Calvin Johnson (Lions) pode ser utilizado das mais diversas formas, com sucesso.

Outros também são capazes, mas se destacam de alguma forma específica.

Entre os recebedores podemos separar por exemplo os velocistas que correm as rotas longas, empurram a cobertura para o fundo do campo, abrindo o meio para seus colegas.

anquan_boldin

Um tipo sempre útil para os coordenadores terem em mãos sãos os chamados POSSESSION WRs. Geralmente fortes, posicionam-se bem dentro das zonas, correm rotas com timming perfeitos, e aproveitam o embalo para ganhar jardas preciosas.

A entrada de Chris Carter (ex Vikings) para o HALL OF FAME nesse ano, é uma justa homenagem a esse tipo de Wide Receiver.

Uma variação desses jogadores, são os que alinham por dentro (SLOT), e fazem as vezes de Running backs, ao receberem passes rápidos para correr com a bola.

Velocistas: Mike Wallace (Dolphins) e Torrey Smith (Ravens)
Possession: Anquan Boldin (49ers) e Brandon Marshall (Bears)
Slot: Wes Welker (Broncos) e Victor Cruz (Giants)

 

Tight Ends

Quem não quer ter um Rob Gronkowski (TE – Patriots) no time? Craque perigoso na RED ZONE, veloz para rotas longas, e excelente bloqueador?

Artigo raro no mercado! Mais comumente temos visto os Tight Ends especialistas.

Alguns que se parecem mais até como Wide Receivers, quase sempre em contrapartida limitados no bloqueio.

Mais raro atualmente são os bons bloqueadores. Em parte a razão disso é o uso extensivo do sistema ofensivo SPREAD nas universidades, que elimina essa função.

aaron-hernandez

Esses TEs acostumados a ficar mais presos à linha de Scrimmage, acabam sendo apenas alvos de passes em rotas curtas como as que exploram os FLATs.

Também vale separar um tipo de jogador cada vez mais comum, desde que tantos times passaram a atuar com 2 Tight Ends em sua escalação titular, o H-BACK.

São atletas que podem fazer uma dupla função de TE ou FB. A vantagem de tê-los em campo está nas inúmeras variações de jogadas que podem ser utilizadas, alinhando-os de forma diferente em cada SNAP.

Ou seja, a defesa não tem uma leitura inicial da jogada, apenas depois que observam seu alinhamento em campo, e mesmo isso pode ser uma isca para jogadas diferentes.

Recebedores: Aaron Hernandez (Patriots) e Jimmy Graham (Saints)
Bloqueadores: Anthony Fasano (Chiefs) e Kellen Davis (Bears)
H-Backs: James Casey (Eagles) e Dwayne Allen (Colts)

 

Linha Ofensiva

Existem 2 formas distintas de se montar a linha ofensiva, e são baseadas no bloqueio ao jogo de corridas: POWER ou ZONE BLOCKING.

No POWER, o jogador da linha ofensiva é designado para bloquear um específico defensor. Pode ser o que está logo à sua frente, ou algum outro que ele se vá de encontro (PULL).

Já no ZONE, a linha inteira (ou quase) se movimenta lateralmente, e seus componentes bloqueiam qualquer defensor que os alcance. Evidentemente procura-se agilidade nesses atletas.

No 1º caso força bruta e base são as características mais relevantes. Somente 1 ou outro da linha precisa ser mais ágil para os PULLs.

Não quer dizer que um bloqueador acostumado a um tipo de bloqueio, não possa se adaptar ao outro, mas na NFL os times não têm muito tempo para aguardar esse aprendizado.

POWER: Jake Long (OT – Rams) e Josh Sitton (G – Packers)
ZONE: Eric Winston (OT – ex Texans e Chiefs) e Marshall Yanda (Ravens)

Aqui vale a pena uma consideração à parte: o lado da linha que cada um joga.

Por que certos jogadores conseguem sobressair por exemplo do lado direito da linha ofensiva, mas quando movido para o esquerdo não se adapta?

Mecânica!

O atleta fica tão condicionado pela repetição de movimentos, que ao inverter de lado, perde instantes preciosos ajustando o corpo. A intensidade de força também muda de um braço para outro.

Pode mudar também a característica do defensor à sua frente, mas isso é assunto para a semana que vem!

Offensive+Line+Wall+Art

 

Você pode gostar...

3 Resultados

  1. Iuri disse:

    Mto bom artigo.

  2. Excelente artigo, JP! Agora ficou bem clara pra mim a função do FB (coisa que desconhecia até então)!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *