Punts – Características dos Jogadores (Defesa)

punts_tipos_def

Semana passada vimos quais características são exigidas dos jogadores de ataque, para executar certas funções ofensivas.

Hoje vamos com os defensores, e suas variações.

 

Interior da Linha

Seja qual for o sistema base que a defesa use (4×3 ou 3×4), alguns conceitos que servem para diferenciar os jogadores que atuam na linha defensiva são os mesmos, baseados no alinhamento deles frente aos bloqueadores.

Para entender esse posicionamento, coloquei o desenho abaixo que demonstra todas as possibilidades de 2 formas por números e letras.

defensive_gaps

Basicamente as letras representam os GAPs, onde A é o vão entre o Center e o Guard (não importa o lado); B entre o Guard e o Offensive Tackle; C entre o OT e o Tight End e D por fora do TE.

Já os números são de fato posicionamentos. Os pares indicam que o defensor alinhou em frente ao bloqueador, e os ímpares nos GAPs.

Alguns desses números geram uma forma de nomenclatura que identifica os tipos de DTs, como por exemplo 3-Technique, jogador que alinha na posição 3 (ao lado do Guard).

Então como são as formas de usar esse tipo de defensor?

NOSE TACKLE (ou 0-Technique): alinhados exatamente em frente ao Center adversário (posição 0), são mais frequentemente usados no sistema 3 x 4, e são responsáveis por controlar os 2 GAPs A contra o jogo de corridas.

DEFENSIVE TACKLE (ou 1-Technique): alinham dentro de um dos GAPs A atraindo a dupla marcação do Center e o respectivo Guard. Como está bem centralizado sua 1ª responsabilidade é com o jogo de corridas adversário.

PASS RUSH TACKLE (ou 3-Technique): atuam entre um dos Guards e o Offensive Tackle daquele lado (GAP B), e geralmente por terem o suporte de um Linebacker atrás, podem se dedicar a tentar pressionar o Quarterback.

3×4 DEFENSIVE END (ou 5-Technique): aqui existem 2 formas de abordar a mesma posição. O DE no 3 x 4 pode tanto alinhar de frente ao OT (posição 4), e ter uma responsabilidade parecida com o NOSE TACKLE, ao controlar os 2 GAPS ao seu lado (B e C), ou posicionar-se num deles exclusivamente.

Os times que usam o esquema 3 x 4 nos moldes dos Steelers, usam a primeira forma, e os que preferem a variação desenvolvida por Bill Parcells (ex HC dos Giants, Patriots, Jets e Cowboys) a segunda.

Como podem perceber as diferenças são sutis.

NOSE TACKLE: Vince Wilfork (Patriots) e Aubrayo Franklin (49ers / Chargers / Colts)
DEFENSIVE TACKLE: Brandon Mebane (Seahawks) e Linval Joseph (Giants)
PASS RUSH TACKLE: Geno Atkins (Bengals) e Henry Melton (Bears)

3X4 DEFENSIVE END: JJ Watt (Texans) e Darnell Dockett (Cardinals)

jjwatt

 

PASS RUSHERS

No esquema 4 x 3 cabe aos Defensive Ends gerar pressão nos Quarterbacks adversários vindos das extremidades do POCKET. No 3 x 4 essa função pertence aos Linebackers externos.

Outras responsabilidades de ambos é a contensão dos GAPs das extremidades no combate ao jogo de corridas, e eventualmente ocupar zonas na cobertura defensiva (mais comum aos OLBs que aos DEs).

clay matthews

Fisicamente existe alguma diferença entre os jogadores dessas 2 posições?

Até sim. Normalmente os Defensive Ends do 4 x 3 são um pouco mais pesados que os Linebackers externos do 3 x 4, pois como iniciam a jogada com a mão no chão, frente a frente com o bloqueador adversário, eles têm um contato mais rápido com esse oponente, e precisam usar de mais força para se desvincular.

Enquanto o OLB inicia de pé, uns 2 – 3 passos atrás da linha de Scrimmage, e acelera antes desse contato. Aqui agilidade é vital.

4×3 DE: Jared Allen  (Vikings) e Cameron Wake (Dolphins)
3×4 OLB: Clay Matthews (Packers) e Shaun Phillips (Chargers / Broncos)

 

Linebackers

von miller

Linebackers externos no sistema 4 x 3 são caracterizados por 1 palavra: versatilidade.

Eles precisam fechar os GAPs no combate ao jogo de corridas, pressionar os Quarterbacks adversários em BLITZES, e participar da cobertura defensiva, ocupando zonas, ou marcando individualmente Tight Ends e Running backs que saem em rotas.

E tem diferença jogar de um lado ou do outro?

Sim, até por isso recebem nomes diferentes.

O STRONG SIDE Linebacker, externo da esquerda (tendo como referência o Quarterback oposto), apelidado SAM, joga quase sempre em frente ao Tight End, e acaba responsável por sua marcação.

Do outro lado é o WILL (WEAK SIDE LINEBACKER), normalmente o mais livre para identificar GAPs e agir.

Mencionei no PODCAST sobre candidatos à defesa para o Draft 2013, que dentro dessa unidade tem um tipo específico que está virando tendência, o especialista em BLITZ. Ele normalmente é o WILL.

Os coordenadores defensivos ficaram atentos à efetividade de Von Miller em Denver, e passaram a procurar atletas que exerçam essa função.

patrick willis

Por fim temos os Linebackers internos, que no sistema 4 x 3 são apelidados de MIKE (MIDDLE LINEBACKER).

Antes mais orientados para o combate ao jogo de corridas, agora eles precisam ser também velozes para atuar na cobertura defensiva, com o agravante que continuam constantemente sofrendo bloqueio direto de um jogador da Linha ofensiva (Center ou Guard).

Em esquemas baseados no TAMPA-2, sua responsabilidade na cobertura é ainda maior, pois precisam recuar bastante, e ocupar uma área quase entre os Safeties.

No sistema 3 x 4 formam uma dupla. Esses têm ainda mais contato direto com bloqueadores internos, e um deles geralmente fica com o papel do SAM, cuidando do Tight End adversário.

4 x 3 OLB: Lance Briggs (Bears) e Sean Weatherspoon (Falcons)
4 x 3 BLITZING OLB: Von Miller (Broncos) e Mathias Kiwanuka (Giants)
Linebacker interno: Patrick Willis (49ers) e Brandon Spikes (Patriots)

 

Safeties

Tradicionalmente existe um diferenciamento nas funções dos 2 Safeties, mas cada vez mais os times têm ajustado seus esquemas defensivos, deixando as responsabilidades dos 2 bem parecidas.

Pittsburgh Steelers v Cleveland Browns

Um deles atuava mais perto da linha de Scrimmage, apoiando contra o jogo de corridas, ou marcando individualmente o Tight End adversário, ou ocupando o FLAT numa cobertura zona. Este é o chamado  STRONG SAFETY.

O outro deles fica como um líbero no centro do campo, sem responsabilidade por algum adversário específico, ou numa dupla marcação em cima de um Wide Receiver predeterminado.

Normalmente mais velozes, eles devem ler a jogada e então se direcionar para a área em que o passe será executado. Este é o FREE SAFETY.

No entanto, com os times procurando versatilidade, e intensificando o uso das coberturas por zona, muitos procuram uma dupla de Safeties, em que ambos são capazes de executar todas as funções, cada um em seu setor do campo.

FREE SAFETY: Ed Reed (Ravens / Texans) e Jairus Byrd (Bills)
STRONG SAFETY: Troy Polamalu (Steelers) e Adrian Wilson (Cardinals / Patriots)
ZONE SAFETY: Dashon Goldson (49ers) e Eric Weddle (Chargers)

 

Cornerbacks

Teoricamente todos os Cornerbacks precisam saber executar tanto a marcação homem-a-homem como a por zona.

Claro que uns vão ter mais experiência numa do que noutra, às vezes remetendo até ao que estava acostumado a fazer desde a Universidade.

Na NFL o nível de competitividade é elevadíssimo. Wide Receivers como Calvin Johnson (Lions) ou AJ Green (Bengals) são difíceis de serem defendidos homem-a-homem, somente poucos Cornerbacks são capazes disso.

Eles precisam ter uma combinação de altura, velocidade, domínio da técnica apropriada e instintos, que poucos possuem, e às vezes precisam de ajuda dos Safeties ou artifícios para não serem batidos.

Contra os WRs mais velozes por exemplo, alguns CBs usam a técnica OFF, posicionando-se recuados entre 5 a 10 jardas. Se iniciam o lance cobertos contra rotas longas, eles dão espaço para as rotas intermediárias e curtas.

tillman

Já os Cornerbacks utilizados em esquemas defensivos predominantemente por zona, precisam ter as características que mencionei antes em boa dose, mas devem também ser eficientes no fundamento TACKLE.

Isso porque ficam responsáveis por setores como o FLAT, e precisam dar apoio no combate ao jogo de corridas, ou deixam sua equipe vulnerável.

Por fim temos alguns Cornerbacks que se especializam em defender as rotas usadas por Wide Receivers que alinham no SLOT.

Esses CBs não precisam ser altos, o importante é agilidade e capacidade de mudança de direção, pois enfrentam WRs em sua maioria com essas mesmas características, e num espaço mais aberto, o meio do campo, que permite rotas rápidas e em diferentes direções.

COVER CORNER: Darrelle Revis (JetsBuccaneers) e Richard Sherman (Seahawks)
ZONE CORNER: Antoine Winfield (Vikings / Seahawks) e Charles Tillman (Bears)
SLOT CORNER: Carlos Rogers (49ers) e Corey Graham (Ravens)

sherman

 

 

Você pode gostar...

3 Resultados

  1. Vitor disse:

    JP, o OLB oposto ao SAM no 3×4 não recebe o nome de SARA? Lembro de ter lido isso em algum canto…

    Dói na alma ver Ed Reed (Texans)…

  2. JP disse:

    Nunca me deparei com esse nome, mas pode ser. O mais comum é apenas SOLB.

    Não entrei nesse aspecto, pois vejo menos diferenças em relação ao lado do que no 4 x 3.

  1. 14 de junho de 2013

    […] Achei que tentariam mover o surpreendente calouro Vontaze Burfict para sua posição natural de Linebacker interno, mas a renovação de contrato de Ray Maualuga (ILB) deve mantê-lo na função WILL. […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *