Kansas City Chiefs: Kansas precisa do Football!

     Kansas City é um local que respira esporte. Há grande tradição no basquete universitário, eles têm um time de baseball que de tempos em tempos assombram as equipes mais “conhecidas”, porém, no futebol americano eles andam meio carentes nesses últimos anos. Primeiro os quaterbacks sempre produzem menos do que o necessário para o sucesso da equipe. Além disso, alguns talentos se machucam em horas cruciais. Ano passado, era triste ver Kyle Orton sofrendo para levar a equipe ao meio do campo nas campanhas. O jogo mais emblemático foi contra o Steelers, quando a equipe dominou na defesa toda a primeira metade do jogo e conseguiu uma vantagem incrível de 6-3 no final do primeiro tempo. Já passou da hora desse time honrar sua cidade. Confiram as contratações e escolhas do draft dos Chiefs.


Contratados


Eric Winston(T) Texans, Brady Quinn(QB) Broncos, Kevin Boss(TE) Raiders


Peyton Hillis(RB) Browns, *Mikail Baker(CB)


*Brandon Kinnie(WR), *Terrance Parks(S), *Matt Szymanski(K), *Neiko Thorpe(CB)


*Tysyn Hartman(S), *Dexter Heyman(LB), *Cam Holland(C), *Ethan Johnson(DE)


*Nate Eachus(RB), *Jean Fanor(S), *Chandler Fenner(CB), *Taylor Gentry(RB)


*Ropati Pitoitua(DE), *Josh Bellamy(WR), *Tim Biere(TE), *Justin Cheadle(G)


*Dominique Ellis(S), *Rich Ranglin(G), *Martin Rucker(TE), *Leon Williams(LB)


Renovaram


Travis Daniels(CB), Jovan Belcher(LB), Anthony Becht(TE)


Indefinidos


Wallace Gilberry(DE), Kelly Gregg(DT), Thomas Jones(RB), LeRon McClain(RB)


Jon McGraw(S), Ryan O’ Callaghan(T), Sabby Piscitelli(S), Jerheme Urban(WR)


Casey Wiegmann(C), Reshard Langford(CB), Tyler Palko(QB), Jackie Battle(RB)


Saíram


Brandon Carr(CB) Cowboys, Kyle Orton(QB) Cowboys, Leonard Pope(TE) Steelers


Barry Richardson(Rams), Demorrio Wlliams(LB)



     Kansas City precisava de força na linha defensiva e com a vinda de Dontari Poe eles conseguiram adicionar tal necessidade. O problema é que o cara também precisa jogar bem, e deve disputar vaga com Jerrell Powe e Amon Gordon. Com certeza será o assunto mais falado nos treinamentos, já que há muita dúvida sobre o desempenho de Poe. Pelo menos a linha precisa somente de três atletas na frente, e sabe-se que Tyson Jackson(LDE) e Glenn Dorsey(RDE) são os pilares da linha defensiva. Outros defensive ends utilizados para possíveis rotações são Allen Bailey(DE) e Ropati Pitoitua(DE). Há também o defensive tackle Brandon Bair. Uma posição que estava em grande falta e que foi endereçada no draft. Resta saber se Poe está pronto para a NFL.

     Outro ponto que vocês devem ter se questionado é sobre a linha ofensiva. Foram trazidos no draft Jeff Allen e Donald Stephenson, mas eles eram prospects de rodadas finais, o que gerou grande repercussão em Kansas pelos dois “reachs” seguidos. Esses dois jogadores são, portanto, tudo o que os Chiefs têm para reserva na linha ofensiva. O alento é que os titulares são de ótimo calibre. Por ali tem Brandon Albert(LT), Ryan Lija(LG), Jon Asamoah(RG), Eric Winston(T) para substituir Barry Richardson(T) que foi para os Rams, e Rodney Rudson(C) que foi “promovido” para o lugar de Wiegamann. Confiar a reserva para jogadores recém chegados do draft e com dúvidas imensas sobre se eles podem jogar na NFL é um risco e tanto.

A principal escolha dos Chiefs no draft foi Dontari Poe


     Os chamados pass rushers são outro ponto de preocupação. Não foi draftado nem contratado nenhum jogador com esse perfil. O sistema 3-4 demanda muitos linebackers ou DEs com essa característica. Tamba Hali(ROLB) e Justin Houston(LOLB) são os únicos que apresentam tais características, portanto fica mais fácil para as defesas bloquearem os 18 sacks que os dois conseguiram realizar ano passado. Derrick Johnson e Jovan Belcher fecham a lista dos quatro linebackers internamente com a concorrência de Brandon Siler(ILB), que volta de contusão finalmente, e de Dexter Heyman(LB). As opções são Andy Studebacker(OLB), Cameron Sheffield(OLB) e Cory Greenwood(ILB). Os linebackers internos precisam se preocupar com os bloqueios e a cobertura curta, sendo um desafio para Kansas montar blitzes mais imprevisíveis, já que os adversários sabem de onde elas provavelmente virão.

     Outro problema é a falta de quaterbacks decentes para a franquia ao longo dos anos. Há muito tempo isso acontece, e com Matt Cassel não há motivos para pensarmos nos Chiefs como pretendentes sérios ao superbowl. Mas é melhor Cassell do que qualquer outro que tenha jogado ano passado ou mesmo se a comparação for feita com os reservas desse ano, Ricky Stanzi(QB) e Brady Quinn(QB). Este último foi escolha de primeira rodada na NFL e era cercado de grandes expectativas. A dúvida é se ele veio para deixar Cassell alerta ou se veio como o melhor quaterback reserva possível, pois é difícil mensurar um jogador que teve poucas oportunidades e nos Browns, ainda por cima. É torcer para Cassell não se machucar de novo. A boa notícia para Cassell é a vinda de Kevin Boss(TE) para adicionar mais opções de jogadas ofensivas. Já estava em Kansas Tonu Moeaki(TE), que sempre se mostrou um pilar do ataque. Outros tigh ends são Jake O’Connell e Steve Maneri.

     Na posição de wide receiver, os dois primeiros nomes que vêm à cabeça são Dwayne Bowe(WR) e Steve Breaston(WR). Se você pensa que está tudo decidido, ainda há Jonathan Baldwin(WR), jogador de grande talento que perdeu alguns jogos ano passado por contusão. Kansas está louco para achar um receiver que substitua Breaston a longo prazo, pois seu salário é imenso e ele está ficando mais velho. Outras opções são Terrance Cooper(WR), Devon Wylie(WR), Junior Heminghway(WR) e Jeremy Horne(WR). Por aqui não falta reservas, e não há preocupação também se pensar nos retornadores, que são o CB Javier Arenas e o RB Dexter McCluster.


     Tem briga na posição de nickel cornerback também, pois Javier Arenas(CB) tem a concorrência de DeQuan Menzie(CB-jogador escolhido no draft) e Jalil Brown(CB) na posição. O lado bom dessa disputa é não afetar a oferta de cornerbacks que há em Kansas. Brandon Flowers(LCB), Stanford Routt(CB) e Travis Daniels(CB) estão disponíveis para suprir a falta de Brandon Carr(CB), que saiu da equipe na free agency. O único problema na área dos defensive backs está nos safeties, que tem Eric Berry e Kendrick Lewis, jogadores de muito talento. O porém é não haver peças de reposição. Berry se machucou sério após chegar ao pro bowl em 2010, e isso fez Lewis ser o safety da equipe, o que depois melhorou o desempenho de Berry, curiosamente. Jon McGraw(S) é o único reserva para a posição se acertar com a equipe, e Donald Washington(CB) e Reshard Langford(CB-também com situação incerta) são só quebra galhos na posição. Se alguém se machucar aqui, a coisa vai ficar feia.

     Só falta falar do “backfield” dos Chiefs, que teve a contratação do grande Peyton Hillis(RB) junto aos Browns, teve também a escolha de Cyrus Gray(RB) no draft e com certeza terá um Jamaal Charles(RB) bem explosivo após o joelho estar recuperado. Além deles, há Thomas Jones(RB), Dexter McCluster(RB-o coringa), Shaun Draughn(RB). Sinceramente, é difícil saber quem vai jogar, pois tem gente voltando de contusão, tem gente que veio do draft e teve contratado de peso também. O lado bom desse tanto de running back disponível é dar uma força na posição de fullback, que não tem ninguém de ofício.

     Kansas participa de uma divisão que está totalmente em aberto, e isso dá chances para a equipe no ano. Os Broncos ano passado foram campeões com uma campanha tosca 8-8, como exemplo. Denver vem com um quaterback misterioso, pois não tem como saber se Manning vai jogar ou se vai estar machucado ainda. Oakland reformulou suas bases e pode incomodar. Kansas tem o quaterback titular de volta e San Diego no final das contas parece ser quem a princípio tem mais condições de vencer a divisão, caso Manning não jogue, obviamente. Na NFC Oeste o certo é não apostar nada, pois as chances de perder dinheiro são grandes.

Escolhas do draft 2012: Kansas City Chiefs


Rodada 1 (11): Dontari Poe(DT-Memphis)

Se você já viu Dontari Poe jogando, você vai achar essa escolha arriscada. Os Chiefs mostraram que precisavam de um nose tackle, mas deixaram passar David De Castro(OG). Poe tem potencial extremo como atleta, mas tecnicamente ele é sofrível. Na NFL eles precisam de força bruta e sabem lapidar esses jogadores, então pode ser que ele se torne importante para a equipe, pois tem 350 libras e corre 40 jardas em 4,96 segundos, algo raríssimo, além de jogar no sistema 3-4 em Memphis, mesmo esquema dos Chiefs. Vamos acompanhá-lo de perto.

Rodada 2 (42): Jeff Allen(OT-Illinois)

Allen é um offensive tackle que joga dos dois lados, tanto como guard quanto como tackle. Ele também é grande(6’4″), pesado(307 lbs) e rápido. O problema é que se fosse escolhido na quarta ou quinta rodada, seria uma escolha maravilhosa. Aqui é encarada como um desperdício de talentos que ainda havia disponíveis.

Rodada 3 (74): Donald Stephenson(OT-Oklahoma)

Starter de Oklahoma em todos os jogos há dois anos, protege o lado cego do quaterback, o famosos left tackle. Ele é rápido, mas muitos duvidam se ele conseguirá expugnar seus adversários no nível altíssimo da NFL. O problema aqui foi o mesmo de Allen, Stephenson seria ótima escolha na sexta rodada, não na terceira. Só o tempo dirá se foi boa ou ruim a escolha.

Rodada 4 (107): Devon Wilye(WR-Fresno State)

Atleta com problemas crônicos de contusão, o que deu pouca informação aos scouts. Há dados consistentes dele somente de 2011, mas mesmo assim ele ficou fora de alguns jogos. Liderou os Bulldogs em recepções e é uma ótima escolha somente se ficar saudável e for utilizado por enquanto no time especial.

Rodada 5 (146): De’Quan Menzie(CB-Alabama)

Jogador que foi escolhido por causa de um ponto forte. Blitz. Nesses casos ele faz um estrago tremendo, mas para isso corre um risco imenso da defesa tomar bola nas costas e congelar o safety do lado exposto. É baixo e leve demais para um cornerback. Serve para adicionar mais homens no roster como cBs de cobertura, mas só isso.

Rodada 6 (182): Cyrus Gray(RB-Texas A&M)

Melhor escolha dos Chiefs. Jogador que passou dois anos seguidos da marca das 1000 jardas, mesmo tendo jogado só sete vezes em 2010 e 11 vezes em 2011. Tem 3.300 jardas na carreira universitária e 30 TDs. Com certeza vai jogar, pois tem talento tanto para correr com a bola quanto para receber passes. Seu problema ainda é a baixa produtividade quando o adversário programa blitz, mas nesse ponto foi uma ótima escolha.

Rodada 7 (218): Jerome Long(DT-San Diego State)

Rodada 7 (238 troca): Junior Hemingway(WR-Michigan)


Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *