Fiesta Bowl decide o segundo finalista para a final nacional

Mike Williams lidera o time no quesito de jardas recebidas com 1.171 e touchdowns com dez (Divulgação: Clemson University – Justin Pondexter/Clemson Athletic Communications)

No Fiesta Bowl, enfrentam-se a universidade de Clemson e a equipe de Ohio State. O Tigers chega com 12 vitórias e uma derrota e Ohio State, que não se classificou para a final da conferência Big 10, possui 11 vitórias e uma derrota. O confronto é às 22h de Brasília, no University of Phoenix Stadium, estádio do Arizona Cardinals, da NFL. A partida terá transmissão da ESPN+ no Brasil.

#2 Clemson é a única campeã de conferência deste confronto. O time do head coach (HC) Dabo Swinney derrotou #22 Virginia Tech na final da Atlantic Coast Conference (ACC), pelo placar de 42 a 35. A equipe de Clemson conheceu a derrota apenas uma vez durante a temporada, contra a universidade de Pittsburgh, por 43 a 42. Porém ao longo do ano a equipe teve algumas atuações inconsistentes e por pouco não foi derrotada em outras partidas. O ataque de Clemson é bem vertical, perigoso e está sempre buscando big plays. Liderado pelo quarterback (QB) Deshaun Watson, o ataque conta com ótimos jogadores, como o running back (RB) Wayne Gallman e o wide receiver (WR) Mike Williams. A defesa perdeu alguns atletas importantes para esta temporada, mas o setor continua sólido. A equipe é a décima quarta colocada na Football Bowl Subdivision (FBS) no quesito de jardas totais permitidas por partida com 331.6 e a sexta na porcentagem de conversões de terceiras descidas do adversário com 30.1%. O setor possui nomes interessantes na linha defensiva, como Carlos Watkins, Christian Wilkins e Dexter Lawrence.

A equipe da universidade de Ohio State, comandada pelo treinador principal Urban Meyer, possui uma das melhores defesas do país. Ela é a terceira no quesito de jardas totais permitidas por jogo com 286 e a 13ª, posição mais alta entre os times dos playoffs, no número de takeaways (bolas roubadas) por jogo com 2.1. A defesa possui bons jogadores, como o linebacker (LB) Raekwon McMillan e o safety (S) Malik Hooker. No lado do ataque, o time do Buckeyes piorou com relação ao ano passado, mas ainda continua sólido e consistente. O time é liderado pelo quarterback J.T. Barrett e possui bons atletas, como os running backs Curtis Samuel e Mike Weber. Este último é mais versátil e também é acionado no jogo aéreo. Weber lidera a equipe no número de recepções com 65, maior
que o dobro do segundo colocado, e também é o primeiro do time no quesito de jardas recebidas com 822.

Nesta temporada, o running back Curtis Samuel possui 704 jardas terrestres e oito touchdowns (Divulgação: The Ohio State University)

Outro destaque sobre esta semifinal é que pela primeira vez nas três edições do College Football Playoff (CFP), a final terá uma equipe que já decidiu o título nacional. Em 2014, na primeira vez do CFP implementado na FBS, Ohio State enfrentou Oregon na final, venceu por 42 a 20 e se sagrou a primeira universidade campeã do novo modelo de disputa do campeonato nacional. No ano passado, Clemson chegou invicta para enfrentar o time de Alabama e foi derrotada por 45 a 40. Na outra semifinal de hoje, no Peach Bowl, #1 Alabama enfrenta #4 Washington e a Crimson Tide também pode repetir o feito e chegar a final pela segunda vez.

Clemson e Ohio State se enfrentaram duas vezes na história e os Tigers levaram a melhor em todas as oportunidades. Em 1978, no Gator Bowl, no estado da Flórida, Clemson venceu pelo placar de 17 a 15. Há pouco tempo, em 2014, ambas as equipes se enfrentaram no Orange Bowl e, o time de Dabo Swinney se deu melhor, 40 a 35.

Márcio Nunes

Estudante de jornalismo, fã de esportes, principalmente futebol americano. Acompanha NFL e futebol americano universitário. Está no Twitter pelo perfil @TheMarcioNunes

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *