Craques da NCAA – Mike Evans

Mike Evans & Johnny Manziel

 

O personagem dessa semana é a grande novidade em termos de mudança de status para temporada 2013.Há algumas semanas atrás, a apresentação do top WR da NCAA traria aqui Marqise Lee, WR de USC. Mas depois do jogo de Texas A&M contra Alabama, Mike Evans parece ter assumido o topo entre os WR.

E a história de Mike Evans já começa curiosa. Evans foi jogador de basquete durante o colegial (com bons números até), e só passou a jogar como WR no último ano, sendo então recrutado por Texas A&M.

No seu true freshman year, Evans recebeu a camisa vermelha, e já na primeira temporada em que jogou (2012) conseguiu 82 recepções pra 1.105 jardas e 5 touchdowns. Cabe lembrar que até o início desta temporada, Evans só havia jogado futebol americano por 2 temporadas completas (seu senior year no colegial, e o primeiro ano em Texas A&M), o que torna seus números e suas habilidades muito mais impressionantes!

Evans é um WR alto (6’5”, ou 1,96) e muito forte fisicamente. Tem um estilo de recepção que me lembra muito uma mistura de Anquan Boldin (WR, 49ers) e Jimmy Graham (TE, Saints), sendo dominante na sideline e na endzone. E não é só uma questão de tamanho, é claro. Existe aí uma habilidade (comum a Evans, Boldin e Graham) que é o domínio sobre o corpo durante a recepção, ou seja, conseguir receber a bola em situações de contato no ar, e conseguir cair com a bola dominada e dentro de campo.

Mas é claro que como um jogador com 2 temporadas nas costas, Evans tem aspectos do seu jogo que ainda não estão plenamente desenvolvidos. Em termos de NFL, não será tão fácil vencer na velocidade os cornerbacks, e se desprender dos marcadores em rotas mais rápidas (como em um slant).

Mas pra ilustrar a capacidade e o potencial de Evans, veja o vídeo do jogo contra Alabama, onde Evans recebeu 7 passes pra 279 (isso mesmo, 279!!) jardas:

 

 

4 comments

  1. João Paulo Costa

    Fala Akiles! Vou responder antes do JP. Acho que a vinda pro Draft depende da pressa dele em ganhar $$$, e de em que lugar ele está no Draft Board.
    Sobre os mocks, mais ou menos em fevereiro/março, ou vi no podcast do Dan Patrick uma explicação muito boa de porque os Mock Drafts flutuam tanto na offseason, e acabam derrubando uns e levantando outros de posição: Os analistas só assistem aos jogos completos na offseason. Então eles passam parte da temporada fazendo avaliações às escuras (baseados em outros mocks, ou por melhores momentos de jogos), e depois fazem os ajustes pro mock final, no meio de abril.
    A ponto de gente achar que o Geno Smith seria um dual threat QB, só por ser negro como o RGIII (e ele sempre foi mais um pocket passer).
    Eu particularmente não confio muito em mocks por causa disso.

  2. Akiles

    Concordo que realmente os mocks de hoje serão bem diferentes dos próximos ao Draft 2014, mas serve pra conhecermos alguns jogadores, ja que os jogos transmitidos aqui no Brasil são minimos.

    • JP

      Eu sou da teoria que se o sujeito já estiver apto a NFL, e tendo o nome considerado como TOP 10 – 15 para o Draft, ele não deve nem pensar 2 vezes: vai nessa!

      Ainda mais nesse caso, em que certamente Manziel também vai optar pelo Draft. recomeçar com um novo QB só o atrapalharia.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *


7 − = 6

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>